Apple exige politica de privacidade para todos os Aplicativos na App Store partir do dia 3 de outubro de 2018

porLuis Augusto Moretto

Apple exige politica de privacidade para todos os Aplicativos na App Store partir do dia 3 de outubro de 2018

Mudanças para os desenvolvedores IOS

apple-privacy-policy

Todos os aplicativos na App Store devem ter uma política de privacidade publicada para manter os APPS disponíveis na loja.

A Apple está reprimindo aplicativos que não comunicam aos usuários como seus dados pessoais são usados, protegidos ou compartilhados. Em um anúncio postado para desenvolvedores através do portal App Store Connect, a Apple diz que todos os aplicativos, incluindo os que ainda estão em teste, terão que ter uma política de privacidade a partir de 3 de outubro de 2018.

Permitir aplicativos sem políticas de privacidade é algo óbvio que a Apple já deveria ter ligado, dada sua natureza geralmente protetora sobre os dados do usuário. Mas a mudança é ainda mais crítica agora que os regulamentos GDPR da Europa entraram em vigor.

Embora os próprios criadores de aplicativos sejam responsáveis ​​pelos dados de seus clientes, a Apple, também tem responsabilidade legal.

Atualmente, as plataformas estão sendo responsabilizadas pelo comportamento de seus aplicativos e pelo mau uso de dados que pode ocorrer como resultado de suas próprias políticas em torno desses aplicativos.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, por exemplo, foi arrastado diante do Senado dos EUA sobre o escândalo Cambridge Analytica, onde dados de 87 milhões de usuários do Facebook foram obtidos de forma inadequada por meio de aplicativos do Facebook.

Política de privacidade: entenda as mudanças

O novo requisito da Apple, portanto, oferece à empresa uma camada de proteção – qualquer aplicativo que se encontre entre as invasões futuras poderá ser responsabilizado por meio de sua própria política de privacidade e das declarações que ela contém.

A Apple também observa que o link ou o texto da política de privacidade não pode ser alterado até que o desenvolvedor envie uma nova versão de seu aplicativo. Parece que ainda há um pouco de brecha aqui – se o time de desenvolvimento disponibilizar um link apontando para uma página da Web externa, eles poderão alterar o que a página da Web diz a qualquer momento depois que o aplicativo for aprovado.

A nova política será necessária para todos os aplicativos e atualizações de aplicativos na App Store, bem como na plataforma de testes TestFlight, a partir de 3 de outubro, diz a Apple.

Questões em aberto

O que não está claro é se a própria Apple estará revisando todas as políticas de privacidade como parte dessa mudança, a fim de rejeitar aplicativos com políticas de uso de dados questionáveis ​​ou proteções de usuários. Se isso acontecer, os tempos de revisão da App Store poderão aumentar, a menos que a empresa contrate mais funcionários.

A Apple já se posicionou sobre aplicativos que considera questionáveis, como o aplicativo Onavo, da Facebook, que foi expulso da App Store no início deste mês. O aplicativo estava no ar há anos, no entanto, e seu texto na App Store revelou que os dados coletados eram compartilhados com o Facebook. O fato de a Apple ter apenas inicializado agora parece indicar que será necessária uma postura mais rígida em aplicativos projetados para coletar dados do usuário como uma de suas principais funções daqui para frente.