porLuis Augusto Moretto

Arquitetura de Software para inovação de serviços

Introdução

Arquitetura de Software

Como qualquer outra estrutura complexa, o software deve ser construído sobre uma base sólida. Ferramentas e plataformas modernas ajudam a simplificar a tarefa de desenvolver software, mas não substituem a necessidade de projetar seu aplicativo com cuidado, com base em seus casos de uso e requisitos de negócio.

Os riscos expostos pela arquitetura deficiente incluem software que é instável, incapaz de suportar requisitos de negócios existentes ou futuros ou que é difícil de implantar ou gerenciar em um ambiente de produção.

Os sistemas devem ser projetados levando em consideração o usuário, o sistema (a infraestrutura de TI) e as metas de negócios. Para cada uma dessas áreas, você deve descrever os principais cenários e identificar atributos importantes de qualidade (por exemplo, confiabilidade ou escalabilidade) e áreas-chave de satisfação e insatisfação. Sempre que possível, desenvolva e considere métricas que medem o sucesso em cada uma dessas áreas.

Objetivos do usuário, dos negócios e do sistema

A experiência geral do usuário da solução é muitas vezes uma função dos negócios e da infraestrutura de TI. Mudanças nos requisitos de experiência do usuário podem ter um impacto significativo nos requisitos de negócios e infraestrutura de TI.

O desempenho pode ser um grande objetivo de usuário e de negócios, mas o administrador do sistema pode não conseguir investir no hardware necessário para atingir essa meta 100% do tempo. Um ponto de equilíbrio pode ser atingir o objetivo apenas 80% do tempo.

A arquitetura se concentra em como os principais elementos e componentes de um aplicativo são usados ​​ou interagem com outros elementos e componentes principais do aplicativo.

A seleção de estruturas de dados e algoritmos ou os detalhes de implementação de componentes individuais são preocupações de design. As preocupações de arquitetura e design muitas vezes se sobrepõem.

Em vez de usar regras rígidas e rápidas para distinguir entre arquitetura e design, faz sentido combinar essas duas áreas. Em alguns casos, as decisões são claramente mais arquitetônicas por natureza. Em outros casos, as decisões são mais sobre design e como elas ajudam você a perceber essa arquitetura.

Seguindo os processos descritos neste post e usando as informações que ele contém, você poderá construir soluções de arquitetura que abordam todas as preocupações relevantes, podem ser implantadas em sua infraestrutura escolhida e fornecer resultados que atendam às metas e objetivos originais. .

Considere as seguintes preocupações de alto nível ao pensar sobre arquitetura de software:

  1. Como os usuários estarão usando o aplicativo?
  2. Como o aplicativo será implantado em produção e gerenciado?
  3. Quais são os requisitos de atributo de qualidade para o aplicativo, como segurança, desempenho, simultaneidade, internacionalização e configuração?
  4. Como a aplicação pode ser projetada para ser flexível e sustentável ao longo do tempo?
  5. Quais são as tendências de arquitetura que podem afetar seu aplicativo agora ou depois que ele foi implantado?
porLuis Augusto Moretto

Arquitetura de Software: Design inspirado na metodologia Agile

Introdução

Arquitetura e software Agile

A arquitetura de software é o projeto e a especificação das regras pelas quais o software será construído, mantido e evoluído. É o DNA do sistema.

Pode ser de alto nível como “Vamos construir a solução usando serviços REST” ou tão detalhados quanto nomear os serviços específicos a serem desenvolvidos e quais dados esperamos que passem dentro e fora de cada um (ex: diagrama de sequência da UML / POO).

O Manifesto Ágil, destaca vários princípios que orientam o desenvolvimento de uma arquitetura de software ágil. Vejamos nesse post:




O software funcionando é a principal medida de progresso.

Especificações de arquitetura, documentos de design, processos de aprovação, etc., são importantes. Devem ser elaborados apenas quando nos aproximam do objetivo de que é o software funcionando. Esses artefatos são um meio para um fim, não um objetivo em si. A prioridade deve ser a geração de valor através de entrega de artefatos.

Este princípio está intimamente ligado ao valor do Manifesto Ágil sobre documentação abrangente. Se passarmos muito tempo documentando nossa arquitetura em vez de desenvolver software, estaremos nos afastando dos princípios ágeis.

As melhores arquiteturas, requisitos e projetos emergem de equipes auto-organizadas.

Uma colaboração criativa envolve quem estará usando a arquitetura de software. Esta prática vai gerar valor a equipe, bem como atender aos requisitos de negócio da empresa.

Simplicidade – a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado – é essencial.

Os projetos arquitetônicos iniciais geralmente tentam acomodar necessidades futuras antecipadas que podem nunca ser realmente realizadas. Isso causa mais trabalho para um pagamento que nunca chega. Construir e projetar com base na necessidade futura percebida não é ágil e desperdiça esforços. Tente usar o projeto baseado em equipe, em que seu design é construído de forma incremental junto com o código, refatorando-o à medida que avança.

Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte de que precisam e confie neles para realizar o trabalho.

A arquitetura está lá para guiar a equipe para uma solução que atenda às necessidades do software e da empresa. Se os membros da equipe não estão envolvidos com o desenvolvimento da arquitetura, eles podem não entender os objetivos e valores, gerando reação e descontentamento. Dê a eles o ambiente e o suporte de que precisam e confie neles para realizar o trabalho.

A atenção contínua à excelência técnica e ao bom design aumenta a agilidade.

Agile não significa “sem design” ou “sem arquitetura”. As melhores práticas ainda se aplicam e ajudarão a equipe a se desenvolver com mais eficiência.

Uma arquitetura bem pensada facilita a inovação e evolução do produto. A evolução deve ser orientada aos requisitos de negócio.

Arquitetura demais pode dificultar a adaptação. A arquitetura ágil deve encontrar o equilíbrio certo para a equipe, o software, o ambiente e a empresa.

Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como ser mais eficiente e ajusta seu comportamento de acordo.

O que se esperava nos estágios iniciais de um projeto quase nunca corresponde à realidade. Ao projetar iterativamente e refletir sobre o que está gerando valor e o que está prejudicando a equipe, a equipe pode ajustar a arquitetura à medida que ela é testada e comprovada por meio do uso real e pode reavaliar e adaptá-la à medida que o projeto muda.

Dicas para implantação

Para uma organização em transição para o desenvolvimento ágil, considere os princípios do Manifesto Ágil, envolva os membros da equipe que usarão a arquitetura em seu desenvolvimento, reflitam e adaptem com frequência e você terá uma arquitetura que atenda às necessidades de sua equipe e de sua empresa.

porLuis Augusto Moretto

Transient API | Cache de banco de dados no WordPress

API transient WordPressWordPress fornece uma API para gerenciar opções. Cada opção tem um nome e um valor e são armazenadas no banco de dados do WordPress – na tabela wp_options.

As opções podem armazenar qualquer coisa desde sua chave da API do Google Maps em uma matriz de dados ou até mesmo no código HTML da sua barra lateral.

Os transientes são semelhantes em todas as propriedades, com exceção de uma; eles têm um tempo de expiração.

Isso torna adequados para atuar como um cache para dados apropriados. Reduz o número de consultas que nosso site utiliza. Podem ser ainda mais aceleradas por plugins de cache que podem fazer com que o WordPress armazene transientes na memória rápida (como o Memcached) em vez do banco de dados.

Neste post, mostrarei o código que você precisa saber para usar transientes e mostrarei alguns exemplos avançados de uso

CASOS DE USO

Veja alguns casos de uso para a API

  • Armazenar configurações
  • Fazer cache de consultas complexas
  • Fazer cache  de integrações. Ex: consultar seguidores do twitter
  • Armazenar metadados de maneira geral

CRIANDO SEU CACHE

 Veja como salvar seus dados no cache com a API Transient
set_transient( 'GMAPS_API', 'XXXXXXXXXXXXXXXXX', 28800 ); // Site Transient

Para recuperar os dados do cache:

$$gmaps_key= get_transient( 'GMAPS_API' ); // Site Transient

Para remover um transiente

delete_transient( 'GMAPS_API' ); // Site Transient

DICAS

Se o seu WordPress conecta com um banco de dados remoto, utilize a api transient para minimizar a latência e maximizar o desempenho do WordPress. Configure o tempo de expiração conforme as regras de seu negócio.  Lembre-se que o cache é global. Se quiser criar um cache por usuário uma dica é utilizar o token + o id do usuário logado para armazenar o cache multi perfil. Um cenário clássico de uso seria a conexão com a API do Twitter. Como a API tem um limite de conexões por tempo usando o transient é possível fazer o cache do resultado respeitando a integração.

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

A importancia do “Unsubscribe link” no seu Email Marketing

Email Marketing Unsubscribe link
Otimize a taxa de entrega com o Ubsubscribe link no seu email marketing

UNSUBSCRIBE LINK: UM AMIGO, NÃO UM INIMIGO

O objetivo deste post, é ajudá-lo a entender por que você deve sempre incluir um link de cancelamento em seu email marketing.

Embora seja doloroso ver pessoas cancelando sua lista de contatos, isso é mais benéfico do que você imagina.

Se você está pensando que ficamos completamente loucos, continue a ler e você entenderá por que defendemos tanto isso.

Razões para incluir o unsubscribe link
no seu email marketing

Um link de unsubscribe tem vários benefícios. Um deles é ter uma lista limpa com apenas os reais interessados em seu conteúdo.

Você sabe como é frustrante… abrir um boletim informativo na esperança de encontrar um link de cancelamento de inscrição … mas não está lá!

É importante entender as necessidades e preferências das pessoas. Inclui-se permitir que os leads saiam da sua lista de e-mail quando desejarem.

Isso aprimora toda a experiência de marketing por e-mail. Garante que a caixa de entrada seja para o conteúdo que você deseja.

A prática aumenta as chances de seu email marketing chegar na caixa de entrada do que no spam .

Uma das causas é porque, se as pessoas não quiserem receber seus boletins informativos e não encontrarem um link de cancelamento, provavelmente sinalizarão seu e-mail como spam.

Dica

Não há absolutamente nenhuma razão para forçar alguém a ficar na sua lista de contatos. Não beneficia o seu negócio de forma alguma, na verdade , pode custar-lhe negócios. 

Portanto sempre adicione o unsubscribe link em seus emails. Garanta a liberdade de seus clientes optarem por permanecer voluntariamente em sua lista!

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

WordPress: Como e porque desabilitar o wp-cron.php

Wordpress wp-cron.php why disable it
Otimize o seu WordPress com essa configuração de crons em seu CPANEL

O que é o wp-cron

O wp-cron é o agendador de tarefas do WordPress, que gerencia tarefas como: verificar atualizações e publicar postagens agendadas.

O WordPress usa um arquivo chamado wp-cron.php como escalonador de tarefas. Esse processo pode publicar postagens agendadas, verificar atualizações de plugins ou temas, enviar notificações por email e muito mais.

É chamado toda vez que alguém visita seu site WordPress. Sua função é basicamente perguntar “é hora de fazer algo ainda?“.

Nos sites de baixo tráfego isso é perfeitamente aceitável. Entretanto quando os visitantes entram, repetir o processo cada vez é ineficiente. Isso leva a problemas de uso de recursos para o seu servidor. Tornando o carregamento do seu site mais lento.

Para resolver esse problema basta:

  • Desabilitar o wp-cron no WordPress
  • Configurar o wp-cron no cPanel ou crontab -e

Esta técnica irá melhorar o tempo de carregamento do seu site. Não importa se alguém acessou o seu site ou não.

Alterando a configuração

Para começar localize o arquivo wp-config.php na pasta raiz do seu WordPress. Feito isso , faça o download do arquivo para sua máquina e abra o arquivo no seu editor preferido.

Adicione a seguinte configuração abaixo no final do wp-config.php. Lembre-se de fazer o backup antes de realizar as alterações;

define ('DISABLE_WP_CRON', true);

Com essa configuração, a cron do wordpress foi desabilitada. Agora precisamos configurar para que a mesma seja chamada a partir da cron do seu HOST. 

A forma mais simples é dentro do CPANEL. Outra opção para quem “manja” é direto no seu shell linux usando o comando crontab -e (ubuntu 16). Esse comando vai abrir o arquivo de cron para edição. 

Na configuração de crons do seu CPANEL  ou crontab crie uma tarefa como:

cd /home/userna5/public_html; php -q wp-cron.php

Onde /home/userna5/public_html é o caminho no servidor para o seu WordPress. Configure a cron para rodar a cada 6 horas e pronto. 

Seu WordPress está Tunado 😀

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

Whatsapp: Melhore a forma de fechar negócios e aumentar as suas vendas!

whatsapp para o seu site fechar mais negócios
Whatsapp no seu site para fechar mais negócios

Whatsapp direto no seu site

Criado em 2009 e vendido para o Facebook por US$ 21,8 bilhões em 2014.

A plataforma  conta com mais de 900 milhões de usuários inscritos.

No Brasil são 100 milhões de usuários – 96% dos consumidores brasileiros que possuem um smartphone têm o aplicativo instalado em seus dispositivos móveis.

72% dos usuários utilizam o App todos os dias e cerca de 70% das pessoas deixam o aplicativo conectado 24 horas por dia.

Uma característica importante do APP é seu sistema de notificação90% dos usuários realmente visualizam a mensagem recebida.

Com todos esses dados, acreditamos que você já tenha se convencido de que o AP é uma poderosa ferramenta de marketing para o seu negócio correto?

O WHATSAPP que é a mais eficaz ferramenta de comunicação, agora também pode ser instalado no seu site,  acelerando todo o processo de vendas.

Quer o whatsapp no seu site para atrair mais oportunidades de negócio?

Fale conosco pelo whats e solicite a instalação em seu site.  O processo é rápido e simples fica pronto em até 72 horas!

Instale o Whatsapp no seu site

Instalação e configuração do whatapp no seu site

R$120
  • Preço promocional valido para 50 sites

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

Segurança dos Sistemas de Informação Empresariais

security - SEgurança da informação
Segurança da informação

SEgurança da informação - ativos intangíveis

A segurança da informação é um conjunto de medidas que se constituem  de controles e política de segurança. 

Tem como objetivo a proteção das informações dos clientes e da empresa (ativos/bens), controlando o risco de revelação ou alteração por pessoas não autorizadas.

Assim nesse post iremos falar sobre os seguintes mecanismos:

  • Auditoria;
  • Autorização;
  • Sigilo;
  • Identificação;
  • Autenticação e
  • Controle de Acesso
Sistemas de Informação Empresariais
Mapa Mental dos Sistemas de Informação Empresariais

Auditoria

É a capacidade que um sistema tem de determinar as ações e comportamentos de um único indivíduo no sistema, e de identificar este indivíduo;

Uma trilha de auditoria, são as tentativas de acesso, problemas e erros de máquina, e outros eventos monitorados ou controlados.

Autenticação

Propriedade de confirmar a identidade de uma pessoa ou entidade. Meio pelo qual a identidade de um usuário é confirmada, e garante que ele realmente é quem diz ser

AUTORIZAÇÃO

São os direitos ou permissões, concedidos a um indivíduo ou processo. Permite acesso a um dado ou recurso.

Após a identificação e autenticação de um usuário terem sido estabelecidas, os níveis de autorização irão determinar a extensão dos direitos que este usuário pode ter em um dado sistema.

Sigilo

Trata-se do nível de confidencialidade e garantia de privacidade de um usuário no sistema; Ex.: Garante a privacidade dos dados de um usuário em relação ao operador do sistema.

Identificação

Meio pelo qual o usuário apresenta sua identidade. Mais frequentemente utilizado para controle de acesso, é necessário para estabelecer Autenticação e Autorização.

Controle de acesso

Identificar dentro da sua organização:

  1. Quais os ativos intangíveis de maior valor;
  2. Como estes ativos intangíveis são armazenados;
  3. Quem tem acesso a estes ativos intangíveis

Terminologia:

  1. Risco: Possibilidade de sofrer perda ou dano; perigo
  2. Ataque: Acesso a dados ou uso de recursos sem autorização
  3. Execução de comandos como outro usuário: Violação de uma política de segurança, etc
  4. Vulnerabilidade: É uma falha que pode permitir a condução de um ataque

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

Componentes dos Sistemas de Informação Empresariais

Componentes dos sistemas de informação
Sistemas de informação empresariais

COmponentes dos sistemas de informação empresariais

Um sistema de informação é essencialmente composto por cinco componentes. São eles: hardware, software, banco de dados, rede e pessoas. 

Estes cinco componentes integram-se para executar entrada, processo, saída, feedback e controle.

O Hardware consiste em dispositivo de entrada / saída, processador, sistema operacional e dispositivos de mídia. 

O software consiste em vários programas e procedimentos. Banco de dados consiste em dados organizados na estrutura necessária. 

Rede consiste em hubs, mídia de comunicação e dispositivos de rede. As pessoas consistem em operadores de dispositivos, administradores de rede e especialistas em sistemas.

O processamento de informações consiste em entrada; processo de dados, armazenamento de dados, saída e controle. 

Durante o estágio de entrada, as instruções de dados são fornecidas aos sistemas que, durante o estágio do processo, são trabalhados por programas de software e outras consultas. 

Durante o estágio de saída, os dados são apresentados em formato estruturado e relatórios.

Sistemas de Informação Empresariais
Mapa Mental dos Sistemas de Informação Empresariais

Taxionomia dos sistemas de informação

Em qualquer organização, o sistema de informação pode ser classificado com base no uso da informação. 

Portanto, um sistema de informação em uma organização pode ser dividido em sistema de suporte a operações e sistema de suporte a gerenciamento.

Sistema de suporte de operações

Em uma organização, a entrada de dados é feita pelo usuário final, que é processado para gerar produtos de informação, ou seja, relatórios, que são utilizados por usuários internos e externos. Tal sistema é chamado sistema de suporte de operação.

O objetivo do sistema de suporte à operação é facilitar a transação comercial, controlar a produção, apoiar a comunicação interna e externa e atualizar o banco de dados central da organização. O sistema de suporte à operação é dividido em um sistema de processamento de transações, sistema de controle de processamento e sistema de colaboração empresarial.

Sistema de Processamento de Transação (TPS)

Na organização de manufatura, existem vários tipos de transações entre departamentos. Departamentos organizacionais típicos são Vendas, Conta, Finanças, Fábrica, Engenharia, Recursos Humanos e Marketing. 

Em qual transação seguinte pode ocorrer ordem do cliente, retorno de vendas, recebimentos de caixa, vendas a crédito; recibos de crédito, contabilidade de material, gestão de estoque, contabilidade de depreciação, etc.

Essas transações podem ser categorizadas em processamento de transação em lote, processamento de transação única e processamento de transações em tempo real.

Sistema de Controle de Processos

Em uma organização de manufatura, certas decisões são tomadas por um sistema de computador sem qualquer intervenção manual. 

Nesse tipo de sistema, informações críticas são alimentadas ao sistema em tempo real, permitindo o controle do processo. Esse tipo de sistema é chamado de sistema de controle de processo.

Enterprise Collaboration System

Nos últimos tempos, há mais ênfase no esforço da equipe ou na colaboração entre diferentes equipes funcionais. 

Um sistema que permite o esforço colaborativo, melhorando a comunicação e o compartilhamento de dados, é chamado de sistema de colaboração empresarial. Exemplo Mantis bugtracker.

Sistema de Suporte à Gestão

Os gerentes exigem informações precisas em um formato específico para tomar uma decisão organizacional. Um sistema que facilita um processo decisório eficiente para os gerentes é chamado de sistema de suporte gerencial.

Os sistemas de apoio à gestão são essencialmente categorizados como sistema de informação de gestão, sistema de apoio à decisão, sistema especialista e sistema de informação contabilística.

Os sistemas de informações gerenciais fornecem informações ao gerente, facilitando o processo de tomada de decisão de rotina. O sistema de suporte à decisão fornece informações ao gerente, facilitando a solução específica relacionada ao problema.

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

Características dos Sistemas de Informação Empresariais

O que são sistemas de informação empresariais?
Sistemas de informação empresariais

O que é um sistema?

Um sistema é um conjunto de elementos dinamicamente relacionados entre si. Para Ludwig von Bertalanffy, 1950 os sistemas tem um objetivo, operando sobre entradas (informação, energia, matéria) e fornecendo saídas (informação, energia, matéria) processadas.

Na mapa mental abaixo apresentamos uma visão sistêmica dos sistemas de informação empresariais. Nesta visão modelamos o sistema em componentes essenciais, o ambiente e os mecanismos ou processos que definem os sistemas.

Sistemas de Informação Empresariais
Mapa Mental dos Sistemas de Informação Empresariais

Constituição de um sistema

Pode ser físico ou concreto quando composto de equipamento, maquinaria e de objetos físicos. São compostos por “Hardware”

Quando compostos de conceitos, filosofias, planos, hipóteses e idéias. Aqui, os símbolos representam atributos e objetos, que muitas vezes só existem no pensamento das pessoas. São compostos de “software” 

natureza de um sistema

Sistemas Abertos: A estrutura de sistemas abertas é formada pela interação e intercâmbio da organização com o ambiente. De acordo com as mudanças do ambiente externo, a sistema se adapta mudando seus componentes, sua estrutura e mecanismos.

Sistemas Fechados (herméticos): não apresentam intercâmbio com o meio ambiente que os circunda, sendo assim não recebem nenhuma influencia do ambiente e por outro lado não influenciam. Não recebem nenhum recurso externo e nada produzem que seja enviado para fora.

organização de um sistema

Um observador talvez não consiga compreender o que é um carro só olhando suas peças. É preciso conhecer quais partes do sistema interagem. Essa interação dos componentes de um sistema é chamada de sinergia. A sinergia é  o nível de organização interna.

Já a entropia é a desordem ou ausência de sinergia. Um sistema pára de funcionar adequadamente quando ocorre entropia interna.

Próximo post....

No próximo post iremos apresentar detalhes da composição que envolve pessoas e tecnologias.   Vamos apresentar as características ambientais e falar dos processos que definem o comportamento sistêmico.

Happy Coding! 😀

porLuis Augusto Moretto

Como transformar sua idéia em um negócio do zero?

ideia-negocio idea em um negócio
Seja um empreendedor também!

Criando um negócio do zero?

Empreender é ter a capacidade de transformar sua ideia em um negócio. Mas, como fazer isso da maneira certa?

Como fazer com que seu projeto se materialize em empresa de sucesso?

Nunca sabemos quando uma ideia será boa o suficiente para criar um negócio de sucesso. Isso só se confirma, ou não, quando arregaçamos a manga para investir numa iniciativa pessoal.

Porém, existe um caminho a ser seguido para transformar um plano numa empresa rentável. Aqui vamos te mostrar como transformar seu conhecimento e planos numa oportunidade de se tornar dono de sua capacidade produtiva. 

Dicas bem simples, mas eficientes quando existe entrega e dedicação no empreendimento.

Descubra suas habilidades

Sua ideia de negócio tem de ser condizente com suas habilidades. Não adianta investir num área da qual nada conhece. 

Então, a primeira coisa é saber se esse futuro empreendimento é parelho as suas capacidades, sua experiência profissional, por exemplo.Unir sua capacidade a um bom propósito empresarial é certeza de que, pelo menos, está no caminho certo. 

A partir daí é começar a organizar isso por escrito e dá os primeiros passos de sua futura empresa.

Seja ágil

Quando estiver certo de que sua ideia é rentável, começa a desenvolve-la. Não se deve esperar “melhor tempo”. Inicie com uma pesquisa de mercado, ou coisa similar, mas faça algo. 

Se ficar somente no campo abstrato nunca alcançará objetivo de ser seu próprio dono. Então pare de sonhar e vá à luta.

Crie um plano de negócios, que é uma espécie de documento orientador ao empreendimento. Trace estratégias e corra logo para pôr em prática suas ideias.

flexibilize sua estratégia

Na fase inicial de seu empreendimento terá plenas condições de alterar ou melhorar suas ideias.

Quando se faz uma pesquisa, por exemplo, consegue-se enxergar mais além, e isto influenciará nos rumos de suas estratégias.

Então, não tenha receio em mudar. O bom empreendedor sempre buscará rever seu comportamento no mercado, e utilizar meios e tendências mais modernas para que seu sonho não pare pelo meio do caminho.

Elabore um protótipo

Os especialistas chamam de prototipagem a forma de testar sua ideia antes de comercializar seus produtos, ou oferecer seus serviços. 

Criar esquemas, protótipos que sirvam para validar sua ideia a um cenário real. À primeira vista parece uma coisa difícil, mas existem acessíveis assessorias no mercado que podem ajudar o pequeno e médio empreendedor.

Essa espécie de projeção de cenários é bem assertiva, ou dar instrumentos para investir de maneira segura no setor almejado. De pronto verá as fragilidades de suas ideias, e vê se realmente existe a possibilidade de ter sucesso. 

Verá o quanto essa etapa é importante para qualquer outro tipo de investimento que realizar.

Busque capacitação

Não basta ter uma excelente ideia, e ter habilidade para produzir ou realizar um serviço. Precisará trabalhar o perfil empresarial. Existem cursos de extensão, qualificação profissional e de empreendedores disponíveis na praça.

E caso conheça algum empresário atuado no ramo que escolheu, melhor ainda. Conversar um pouco sobre a rotina, e como funciona o mercado ajudará a saber se escolheu o negócio certo. 

Nessas conversas, não tenha medo de expor sua ideia, coloque a prova. A visão de uma pessoa experiente certamente te ajudará de alguma forma. Considere como network que deve se ampliar a cada dia a medida que for colando seu plano em prática.

Almeje a estabilidade

A sua postura no início do negócio determinará seu futuro no mercado. Não estamos falando aqui de ser arrojado apenas em investimento, mas também em atitude. Ir atrás das tendências mais atualizadas, pensar em adotar a tecnologia de internet ou sistemas de gestão empresarial como o ERP mostrará realmente o quanto você quer transformar sua ideia num negócio rentável.

Para isso, invista em ferramentas que simplifiquem a visualização de dados e a gestão de seu negócio. Saiba que um bom controle de suas finanças nunca é demais! Portanto, uma boa dica é investir um sistema de controle financeiro e, assim, evitar erros em um setor tão importante dentro da sua empresa. 

Outro ponto importante, é que sua ideia poderá ser entendida como “ruim” por alguns, porém, se tiver realizado uma prototipagem eficaz, uma boa análise de mercado, vá em frente. Não quer dizer que todas as opiniões serão a seu favor. Às vezes é preciso confiar um pouco na intuição, e claro nos números. Sendo assim, boa sorte na hora de transformar sua ideia em um negócio.

Happy Coding! 😀