Processando objetos JSON em JAVA | pacote org.json | Morettic

Processando objetos JSON em JAVA | pacote org.json

porLuis Augusto Moretto

Processando objetos JSON em JAVA | pacote org.json

Introdução

O JSON pode ser definido como um padrão para interoperabilidade de linguagens. Para manipular o JSON em JAVA iremos utilizar uma biblioteca (jar) “org.json”. A fim de curiosidade o padrão de interoperabilidade com potencial para substituir o XML foi desenvolvida por Douglas Crockford, criador do JSON.

Trata-se de um pacote composto por um conjunto classes  e interfaces Java que podem ser adaptadas e utilizadas livremente por qualquer desenvolvedor.

A principal característica da “org.json” é que ela trabalha lendo todo o documento JSON para a memória, em um processo similar ao feito pela API DOM para processamento de XML.

O JSON na linguagem Java foi implementado a partir da JSR – Java Specification requests que irá desenvolver uma API para processamento de JSON nativo na linguagem.

Primeiros passos

Para manipular JSON em Java você deve baixar a biblioteca. Depois deve importar em seu projeto e usar as classes JSON conforme sua necessidade de negócio.

  1. Fazer o Download da JSON Java
  2. Adicionar a biblioteca (jar) em seu Projeto utilizando sua IDE de preferência
  3. Importar as classes do pacote org.json.**

Criando um objeto com o pacote org.json

No exemplo abaixo vamos criar um JSON object a partir de uma Classe POJO java.  Após adicionar o .jar ao projeto, iremos importar as classes do pacote org.json e criar o JSON correspondente.

JSON Object org.json

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A saída do JSON no console do java corresponde á:

json_output json object

Para interpretar um Object JSON dentro do Java precisamos converter uma String em JSON. O processo para realizar isso consiste em ler uma String (arquivo texto, url, post ou get) e converter a String em um Objeto ou Array Json conforme a figura abaixo.

JSON READ

Dicas

  1. JSON é o substituto natural do XML
  2. Nativo no javascript
  3. Multilinguagem
  4. Padrão de serviços REST
  5. legível por seres humanos e computadores
  6. Possibilita a interoperabilidade
  7. Padrão de fato na Internet